Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra entre vampiros e seus carrascos. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por seis vampiros defensores de sua raça. Dentre eles, Zsadist é o membro mais assustador da Irmandade da Adaga Negra. Tendo sido por muito tempo um escravo de sangue, Zsadist ainda carrega as cicatrizes de um passado repleto de sofrimento e humilhação. Conhecido por uma fúria que não acaba e por atos sinistros, ele é um selvagem, temido igualmente por humanos e vampiros. A raiva é sua única companheira e o terror, sua única paixão... Até que resgata uma bela vampira das garras da maligna Sociedade Redutora. Bella sente-se imediatamente enfeitiçada pela ardente força que emana de Zsadist. Entretanto, mesmo quando o desejo de ambos começa a consumi-los, a sede de vingança de Zsadist contra os torturadores de Bella o leva à beira da loucura. Agora, Bella deve ajudar seu amante a superar as feridas de seu atormentado passado e vislumbrar um futuro ao lado dela...

Romance Adulto (+18) | 464 Páginas | Editora Universo dos Livros Skoob | Classificação: 5/5 

Leia as resenhas de todos os livros da série clicando aqui 

"Ele queria ficar limpo. Por dentro."

O livro pelo qual estava ansiosíssima para ler. Quando estava lendo “Amante Sombrio” fiquei bem intrigada com um dos irmãos, Zsadist. Não pude ler muito do personagem no primeiro livro, somente algumas descrições sobre ele. Foi no segundo livro que conhecemos mais desse guerreiro lindo e perfeito que roubou de vez meu coração.

 Em “Amante Eterno” vemos como Z. ficou atormentado com o sequestro de Bella, amiga de Mary, protagonista do livro anterior. Quando Bella conheceu Zsadist pela primeira vez, ela não se importou com todas as cicatrizes que o homem possuía no corpo, com todos os avisos dele para que ela se mantivesse afastada, ou com a reputação dele. Zsadist é conhecido por todos pela sua crueldade, frieza e pela sua aversão às mulheres. Mas quando Bella é sequestrada pelos redutores, Z. fica ainda mais selvagem. Seus irmãos não conseguem entender o porquê dessa atitude, não entendem seus motivos para estar tão desesperado para encontrar Bella e sua preocupação com a vampira. Foi lendo sobre esse lado do personagem que eu me apaixonei por ele.

"Z. a segurou nos braços e só... abraçou-a. Tinha de levá-la para fora, mas não conseguia se mover pelo que haviam feito a ela. Piscando, atordoado e gritando por dentro embalou-a suavemente. As palavras se derramavam de sua boca, lamentações por ela, no Antigo Idioma."

Zsadist é um cara atormentado pelo seu passado, por tudo o que sofreu quando criança, antes de ser resgatado pelo seu irmão gêmeo. Quando nasceu, Z. foi sequestrado pela sua babá e tempos depois, foi feito escravo de sangue, onde sofreu todos os tipos de abusos. Quando ele toma consciência de que sente algo pela Bella, ele teme que ela se contamine com o que corre em suas veias. Ele pensa que ele não é digno dela, que ele não é o companheiro que ela precisa. Até agora, Z. foi um dos que mais gostei na série. Amo todos os membros da Irmandade, cada um carrega cicatrizes profundas; e Zsadist carrega essas cicatrizes, tanto fisicamente, quanto emocionalmente.   

"Uma imagem de Zsadist lhe veio à mente, clara como uma fotografia. Viu seus escuros olhos selvagens. A cicatriz que recortava seu rosto e deformava-lhe o lábio superior. As tatuagens de escravo de sangue no pescoço e nos pulsos. Lembrou-se das marcas de chicotadas em suas costas. E dos piercings em seus mamilos. E de seu corpo, musculoso e magro." 
Se fiquei apaixonada pelo Z., preciso dizer o quanto amei o romance entre ele e Bella. QUE CASAL LINDO!!! Mesmo com seus sentimentos com relação a Bella crescendo a cada dia, Z. tenta como pode resistir a eles, tentando de tudo para mantê-la afastada dele. Ainda bem que a moça não desiste facilmente. Bella é uma pessoa forte, decidida, que fará com que o vampiro perceba que ela estará ao lado dele, não importando o que ele pense sobre si mesmo. Ainda temos o irmão gêmeo de Z., Phury, que acaba se interessando pela moça. O que achei ótimo, foi que desde o início Bella deixou bem claro quem ela queria, quem ela amava, então, não teve aquele “blá blá blá, quem eu escolho?”.

Assim como nos livros anteriores, temos pontos de vistas de outros personagens. É incrível como a autora consegue narrar todos essas perspectivas sem deixar o enredo confuso e, ainda, nos manter presos a narrativa. Depois de ler esse livro, estou ainda mais ansiosa para ler os próximos. 

"- Quando me encontrou eu estava morto, embora respirasse. Eu estava cego, embora pudesse ver. E então você chegou... e eu fui despertado."






Toda a alta sociedade concorda que não existe ninguém parecido com Hyacinth Bridgerton. Cruelmente inteligente e inesperadamente franca, ela já está em sua quarta temporada na vida social da elite, mas não consegue se impressionar com nenhum pretendente. 
Num recital, Hyacinth conhece o belo e atraente Gareth St. Clair, neto de sua amiga Lady Danbury. Para sua surpresa, apesar da fama de libertino, ele é capaz de manter uma conversa adequada com ela e, às vezes, até deixá-la sem fala e com um frio na barriga.
Porém Hyacinth resiste à sedução do famoso conquistador. Para ela, cada palavra pronunciada por Gareth é um desafio que deve ser respondido à altura. Por isso, quando ele aparece na casa de Lady Danbury com um misterioso diário da avó italiana, ela resolve traduzir o texto, que pode conter segredos decisivos para o futuro dele.
Nessa tarefa, primeiro os dois se veem debatendo traduções, depois trocando confidências, até, por fim, quebrarem as regras sociais. E, ao passar o tempo juntos, eles vão descobrir que as respostas que buscam se encontram um no outro... e que não há nada de tão simples e de tão complicado quanto um beijo.

Romance de Época | 272 Páginas | Editora Arqueiro | Skoob | Classificação:  3/5

Série "Os Bridgertons"

7Um Beijo Inesquecível
8. A Caminho do Altar
9. E viveram felizes para sempre


Tentei adiar a leitura desse livro o máximo que consegui. Sabia que quando o lesse, estaria mais próxima do final da série. Não queria nunca me despedir dessa família maravilhosa que aprendi a amar com o passar dos anos. Mas, como não consigo ficar sem ler um livro da Julia Quinn por muito tempo, acabei sendo vencida pela vontade de ler o livro da Hyacinth.

Hyacinth não queria um casamento onde seu esposo não a entendesse ou que não conseguisse conviver com ela. A verdade é que a jovem é impetuosa e muito inteligente e isso assusta um pouco os pretendentes da moça. Ainda mais por Hyacinth ser vista sempre na companhia de Lady Danbury, a qual considera sua amiga. Quem já leu os livros anteriores sabe que a senhora é considerada um pouco desagradável aos olhos da sociedade londrina; mas não para a jovem Bridgerton. Mas tudo começa a mudar na vida de Hyacinth quando ela conhece o neto de  Lady Danbury, Gareth.   

Gareth é desprezado pelo pai desde que o mesmo descobriu que o jovem não era seu filho. Mesmo assim, ele sempre considerou seu irmão – a única pessoa que ele ama, além de sua avó –, seu sangue. Gareth não leva uma vida de regalias ou esbanjamentos, já que sua situação financeira não permite isso. Ele sempre pôde contar com a ajuda de sua avó, Lady Danbury e é através dela que o jovem conhece Hyacinth Bridgerton.

Já me acostumei com a qualidade de todos os livros da série, é sempre um melhor que o outro, e estava com muitas expectativas com relação a esse livro… Infelizmente acabei me decepcionando um pouco com ele. Não estou dizendo que o livro é ruim, ou que não valha a pena ser lido, mas é que eu não senti lendo esse livro nem uma fração de tudo o que senti com os outros livros da série. A história começa quando Hyacinth se oferece para traduzir um diário que pertenceu a avó paterna de Gareth, e ao passo que vão descobrindo mais sobre a dona do diário, Hyacinth e Gareth também descobrem mais sobre os pensamentos, emoções e personalidade um do outro. Eu sempre me encantei pelos personagens da série, pelo romance, pelas histórias de amor de cada casal e, é claro, pela personalidade de cada um. No entanto, com Hyacinth eu não consegui ficar tão encantada ou apegada assim. Ela é uma mulher muito decidida, que sabe bem o que quer, mas em alguns momentos, achei que ela queria que sua opinião fosse ouvida acima das demais.  

Pensei que seria diferente com o Gareth, que por tudo o que ele sofreu quando criança, por todo o desprezo, eu pudesse me conectar com o personagem, mas isso não aconteceu. Não me vi torcendo por ele, me emocionando com sua história, ou querendo consolá-lo. Gostei do Gareth, mas não tanto quanto eu gostei de Benedict, Anthony, Collin ou Michael.  

Preciso dizer que esse livro não foi um dos melhores da série. Não tive a chance de suspirar pelo casal, me emocionar pela história e de torcer com fervor pelo desfecho que sempre me deixa nas nuvens. Mesmo me decepcionando com esse volume, estou mais uma vez ansiosa para ler o livro do Gregory. Estou torcendo para a série termine da melhor forma para mim. 










Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra entre vampiros e seus carrascos. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por seis vampiros defensores de sua raça. Possuído por uma besta letal, Rhage é o membro mais perigoso da Irmandade da Adaga Negra. Dentro da Irmandade, Rhage é o vampiro de apetites mais vorazes. É o melhor lutador, o mais rápido a reagir, baseado em seus instintos, e o amante mais voraz, porque em seu interior arde uma feroz maldição lançada pela Virgem Escriba. Possuído por esse lado sombrio, Rhage teme constantemente que o dragão dentro de si seja liberado, convertendo-o num perigo para todos à sua volta. Mary Luce, uma sobrevivente de muitas adversidades, entra de maneira involuntária no universo dos vampiros, contando apenas com a proteção de Rhage. Concentrada em combater a sua própria maldição, potencialmente mortal, Mary não está buscando o amor e perdeu sua fé em milagres tempos atrás. Mas quando a intensa atração animal de Rhage se transforma em algo mais emocional, ele sabe que Mary precisa ser sua e de mais ninguém. E enquanto os inimigos fecham o cerco, Mary luta desesperadamente para alcançar a vida eterna com aquele que ama...

Romance Adulto (+18) | 448 Páginas | Editora Universo dos Livros | Skoob | Classificação: 5/5


Leia as resenhas de todos os livros da série clicando aqui 


Voltei com mais uma resenha dos livros da série Irmandade da Adaga Negra, de J. R. Ward. Assim que terminei de ler “Amante Sombrio” fui correndo comprar o segundo livro. Precisava de mais desses guerreiros, desse universo que arrebatou meu coração.

Quem leu o primeiro livro, sabe que Rhage Tohrture é o pegador, um garanhão e também o mais letal dos guerreiros. Todas as mulheres caem de amores por esse vampiro, não importa se é uma vampira ou humana. Rhage carrega uma maldição dentro de si... Uma Besta. Quando mais jovem, ele foi amaldiçoada pela Virgem Escriba – criadora da raça dos vampiros –, a carregar por 200 anos uma Besta, difícil de controlar, que sempre se manifesta quando o guerreiro está lutando ou encontra-se em perigo. Rhage tenta controlar essa Besta através das lutas e muito sexo; essas são as duas forma que ele encontra para manter o Dragão preso e tranquilo dentro de si.  

Tudo muda no dia em que ele conhece Mary Luce, uma humana que despertou um sentimento dentro do homem, que o deixou fascinado, mesmo tendo ouvido somente sua voz. Rhage nunca pensou realmente em um dia se apaixonar, em encontrar uma companheira. Ele teme que pela sua atual condição, não seja possível que ele esteja em um relacionamento com ninguém, ainda mais com uma humana.

“Se eu sentisse menos, seria diferente, mais fácil. Mas você provoca algo estranho em meu corpo, por isso, segurar-me totalmente é a única maneira de estar com você. Do contrário, posso me descontrolar e a última coisa que quero é apavorá-la. Ou pior, machucá-la.”

Indo contra as ordens de Tohrment e de seu rei Wrath, Rhage vai em busca de Mary. Para conhecer melhor a humana, o homem conta com a ajuda de Bella, uma amiga/vizinha de Mary, e também uma vampira. Quando conhece Rhage, Bella não consegue entender como aquele deus grego pode estar interessado nela. Ela consegue perceber como todas as mulheres ficam quando ele está presente, ou por onde ele passa. Depois de conversar por um tempo com Mary, Rhage percebe que será muito difícil se afastar dela e apagar sua memória para que ela nunca se lembre dele.

“Você será o único que se lembrara dela. E caso se aproxime dela, ela morrerá. Imediatamente.” Rhage oscilou e caiu para frente, apoiando-se sobre as mãos. Passou-se muito tempo antes que pudesse arrancar quaisquer palavras de sua garganta. "Realmente me odeia." Sua voz tremeu. "Está me tirando a vida."

É a partir daí que inicia-se um romance lindo e emocionante. Os dois são muito diferentes e ao mesmo tempo iguais. Mary já sofreu muito na vida, é uma pessoa maravilhosa e sempre disposta a ajudar o próximo. Rhage é um homem atormentado, mas também muito leal, amigo, irmão; uma pessoa que aprendeu com os erros cometidos no passado. Os dois precisaram enfrentar muitos desafios e obstáculos para ficarem juntos. Eu pude sentir a dor dos personagens, seus medos, inseguranças, seu amor e sua alegria. 

Paralelamente ao romance, a luta contra os redutores continua intensa. Os irmãos estão mais unidos nesse livro. Esse detalhe foi uma das coisas que mais gostei: o amor e lealdade entre os irmãos. 

Como falei na resenha do primeiro livro, a história não fica centrada apenas nos dois personagens; durante a leitura conhecemos mais sobre os membros da Irmandade da Adaga Negra, mais sobre os redutores e sobre alguns personagens que são inseridos na narrativa. Além disso, essa série conta com algumas cenas hot, então, se você não se sente confortável com isso, talvez seria melhor você não ler. Mas… se você não vê problemas com esse tipo de narrativa, fique à vontade para ler.

A escrita da J. R. Ward continua sendo fluida, envolvente, deliciosa. Quem começar a ler essa série, se surpreenderá com tudo o que a autora criou, com essa raça de vampiros totalmente diferente de tudo o que conhecemos ou já lemos.








Nas sombras da noite, em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra, entre vampiros e seus carrascos. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por seis vampiros defensores de sua raça. Ainda assim, nenhum deles deseja a aniquilação de seus inimigos mais que Wrath, o líder da Irmandade da Adaga Negra. Wrath é o vampiro de raça mais pura dentre os que povoam a terra e possui uma dívida pendente com os assassinos de seus pais. Ao perder um de seus mais fiéis guerreiros, que deixou órfã uma jovem mestiça, ignorante de sua herança e destino, não lhe resta outra saída senão levar a bela garota para o mundo dos não mortos. Traída pela debilidade de seu corpo, Beth Randall se vê impotente em tentar resistir aos avanços desse desconhecido, incrivelmente atraente, que a visita todas as noites envolto em sombras. As histórias dele sobre a Irmandade a aterrorizam e fascinam. Seu simples toque faísca, um fogo que pode acabar consumindo a ambos.

Romance Adulto (+18) | 448 Páginas | Editora Universo dos Livros | Skoob | Classificação: 5/5


Leia as resenhas de todos os livros da série clicando aqui 


Sempre que estava em uma livraria e via os livros dessa série na prateleira, me perguntava o motivo de nunca ter lido nenhum livro. Quase todo mês vou ao sebo olhar as novidades, e sempre via alguns livros da série por lá, mas nunca o primeiro livro. Semana passada, quando estava novamente sebo, vi que havia chegado o primeiro livro, não acreditei quando vi; fiquei bem feliz e não pensei duas vezes antes de comprá-lo. Tentei me segurar para começar a leitura, já que eu não tinha ainda o segundo livro em mãos. Sabia que se a leitura me agradasse, ficaria louca para ler os próximos livros. Me segurei o quanto pude, mas, infelizmente, não consegui resistir.  E quando terminei o livro (li em dois dias), eu corri para comprar o segundo livro.

Amante Sombrio é o primeiro livro da série Irmandade da Adaga Negra, que até o momento, conta com 14 livros publicados, todos pela Universo dos Livros. Neste primeiro livro o leitor conhecerá a Irmandade e seus guerreiros. Cada livro contará a história de um desses guerreiros e, pelo que andei lendo, ao longo dos livros, novos personagens serão apresentados nas histórias. Em Amante Sombrio somos apresentados a Wrath, líder da Irmandade da Adaga Negra e também o Rei dos Vampiros, uma posição que ele nunca quis assumir. Para ele, seu lugar é ao lado de seus irmãos, lutando contra os redutores, uma raça mortos-vivos que tem por objetivo exterminar a raça dos vampiros. Um de seus irmãos e também melhor amigo, Darius pede que Wrath cuide de sua filha, um pedido que foi recusado pelo rei. Mas após a morte de Darius, Wrath decidi atender ao pedido do amigo.  

Beth é mestiça e está próxima de sua transição para vampira. Quando um vampiro completa 25 anos, ele se transforma. Darius não desejava esse futuro para a filha, por isso, ele pede que Wrath fique ao lado de Beth durante a transição.  A mulher sempre pensou que seus pais haviam morrido, e nunca imaginou ser filha de um desses seres. O encontro entre Wrath e Beth não acontece da forma que ele imaginou; sua intenção era ajudar a moça nesse momento, alimentá-la e depois deixar que ela seguisse com sua vida. Wrath não estava preparado para a forte atração que sentiria pela  Beth. Ele já tinha uma companheira, mesmo que não tivesse uma relação de verdade com a mesma. Mas algumas coisas saem do controle e Beth é trazido para o mundo do rei e, sem perceber, acaba se apaixonando por Wrath e ele por ela.

Fui fisgada de primeira pela narrativa desse livro. A história é incrível, o romance é ainda melhor. Sempre gostei muito de livros com esses seres sobrenaturais, pensava que quando lesse esse livro, gostaria da leitura, mas preciso dizer que me surpreendi muito com o que li. Para começar, os vampiros dessa série são bem diferentes dos vampiros que lemos em outros livros. Para se tornar um vampiro, você precisa nascer de um vampiro, não pode acontecer a partir de uma mordida. Sim, as fêmeas podem ter filhos; uma outra diferença. Eles não se alimentam de humanos, sua alimentação vem de sua mesma espécie, porém, do sexo oposto. Acho que a única semelhança com os vampiros que lemos por aí é que eles não podem se expor a luz do sol. Eles também são extremamente protetores e possessivos com suas mulheres, no caso, suas companheiras. Eles não dividem, o que achei o máximo, já que isso significa que não terá aquele velho e chato triângulo amoroso. Eu AMEI tudo o que a J. R. Ward criou. O livro é repleto de cenas de ação, romance, suspense, ótimos diálogos e um enredo incrível. Os personagens são maravilhosos, bem desenvolvidos. Uma outra coisa que amei é que a narrativa não fica concentrada em apenas um casal, ou em um determinado personagem; em todo o livro, você conhece todos os membros da irmandade. A autora fala de todos com a mesma importância.

Me apaixonei por todos os irmãos, pelas cenas entre eles, pelo amor que eles sentem. Encantei-me com o casal, com as cenas de amor protagonizadas por eles. Como foi dito, cada livro contará a história de um dos irmãos, são eles: Rhage, Vishous, ThormentZsadist e seu irmão gêmeo Phury. Também conhecemos um amigo de Beth, Butch, que acaba se envolvendo nesse mundo após uns acontecimentos. Ele é muito corajoso e logo se torna amigos dos irmãos. Ele me lembrou muito o Matt de The Vampire Diaries: o único humano em meios a tantos vampiros. Ao longo da leitura, o leitor se deparara com nomes esquisitos e alguns termos usados pelos vampiros, mas no começo do livro há um glossário com o significado de cada termo.  

Faltou bem pouco para que esse livro se tornasse um dos meus favoritos do ano. Mesmo assim, ele ganhou cinco estrelas. Estou extremamente feliz por ter lido o livro, agora não vejo a hora de ler os outros livros. Para isso, estabeleci mais uma meta para 2017 que é: ler TODOS os livros da série este ano. Tenho certeza que essa meta conseguirei cumprir, já que estou ficando louca só de pensar no que acontecerá nos próximos livros.







Desde garoto, Justin amava Amelia, que odiava Justin desde que ele se mudou para a casa vizinha à da sua avó, em Rhode Island. Não, nada disso. Amelia também amava Justin, mas um mal-entendido o fez pensar que a garota mais incrível do mundo não correspondia ao seu amor e, pior, o odiava.Os anos se seguiram, e os dois tomaram caminhos distintos até que o destino – e um empurrãozinho de Nana, avó de Amelia – os reuniu novamente na casa onde se conheceram quando eram adolescentes. Obrigados a compartilhar o mesmo espaço, Justin – que aparece na casa de praia de Nana com a namorada – e Amelia vivem como cão e gato. Orgulhosa, a princípio ela não dá o braço a torcer ao amor que sempre sentiu pelo vizinho e reluta o quanto pode contra os encantos de um Justin, agora, mais maduro e... muito mais atraente. Será que ambos resistirão à paixão e ao desejo que os incita desde a adolescência?

Romance | 272 Páginas | Cortesia Editora Planeta de Livros | Skoob | Compre: Saraiva Submarino  •  Americanas | Classificação: 4/5 


Em “Amor Intenso” conhecemos Amelia e Justin, dois melhores amigos de infância que acabaram se separando e foram se reencontrar anos depois. Quando criança, Justin passava praticamente todo o dia com a avó de Amelia. Sua família, assim como a de Amelia, era muito complicada, os pais do menino nunca estavam em casa e, com isso, ele passava muito tempo na companhia de Amelia. Anos foram se passando, e a amizade dos dois se fortalecia a cada dia. Até que por um mal-entendido, Amelia vai morar com o pai e deixa Justin para trás, sem dar nenhuma explicação ao garoto. Anos depois, e avó de Amelia morre e deixa sua casa da praia para Amelia e Justin, para que ele a dividissem. 

Amelia sabe que não pode fugir desse reencontro para sempre, ela sabe que ao chegar à casa, Justin estará lá, e que eles precisaram conversar e entrarem em um acordo de o que farão com a casa. Assim que recebe a notícia sobre a herança, Amelia parte para passar o verão na casa. Chegando lá, ela fica um pouco aliviada por não encontrar mais ninguém no lugar. Até que um dia, voltando de um passeio, ela se depara com seu ex melhor amigo, e a tira colo, sua namorada.

Os primeiros dias convivendo no mesmo ambiente são insuportáveis, Amelia sabe que Justin não é mais o mesmo de antes, mas não imagina que ele a adiaria tanto por ter ido embora. Justin a ignora sempre que pode, nunca olhando para ela ou lhe dirigindo a palavra. Apesar dessa relação, Amelia  torna-se amiga de Jade – namorada de Justin –, o que torna os dias menos insuportáveis. Apesar de toda animosidade, é possível perceber que os sentimentos que ambos sentiam pelo outro quando jovens ainda está ali, mesmo que eles não demonstrem.

“As vezes aquilo que mais tememos, é de fato o que nossa alma mais almeja.”
Amelia acabou de sair de um relacionamento, onde foi traída pelo seu namorado. Ela é professora e muito independente, já que desde criança nunca pode contar muito com a mãe. Justin é músico, mas também trabalha com softwares. Lindo, sexy e muito sedutor, ela guarda muito rancor de Amelia, sempre que pode a trata com grosseria, e sempre a lembra do quanto a odeia por ter ido embora.  

“Você estava sempre lá… até que você não estava mais. Perder você me ensinou que eu não posso contar com ninguém além de mim mesmo. Formou que eu sou hoje… e isso não é necessariamente uma coisa boa.”

É só depois de muitas reviravoltas e brigas que os dois voltam a se falar, porém, não como antes. Eles ainda precisam deixar todas as mágoas para trás e se perdoarem. Eles percebem que não podem deixar o passado estragar o que eles tinham, a linda amizade que eles tinham. É muito bom ver como eles evoluem e amadurecem ao longo da história.  

A leitura flui desde o primeiro capítulo, tanto que li em um dia. Comecei de manhã e só consegui largar quando cheguei a última página. É uma narrativa gostosa, com um ótimo ritmo. Adorei a escrita da Penelope Ward, tanto que já quero ler um outro livro dela que me indicaram e me disseram que também era maravilhoso.

" Eu nunca deixei de amar você. Houve momentos em que eu tentei te odiar, mas mesmo assim, eu nunca parei de te amar."

Amor imenso é uma história recheada de sentimentos, de momentos que nos fazem rir; é um livro que fala sobre segundas chances, sobre esquecer as mágoas do passado e aproveitar as chances que a vida nos presenteia.