12 de novembro de 2015

[Resenha] Para onde ela foi - Gayle Forman

‘Meu primeiro impulso não é agarrá-la nem beijá-la. Eu só quero tocar sua bochecha, ainda corada pela apresentação desta noite. Eu quero atravessar o espaço que nos separa, medido em passos – não em milhas, não em continentes, não em anos -, e acariciar seu rosto com um dedo calejado. Mas eu não posso tocá-la. Esse é um privilégio que me foi tirado.’

Romance | 240 Páginas | Editora Novo Conceito | Skoob | Classificação: 5/5   

Assim que eu terminei a leitura de "Se eu ficar', a primeira coisa que me veio a mente foi: devastador. Para mim e leitura tinha sido triste e devastadora, mas eu estava enganada. Para onde ela foi é ainda mais triste e devastador que seu antecessor. O livro agora é narrado pelo ponto de vista do Adam e três anos se passaram desde os acontecimentos de "Seu eu ficar", e durante esse período, Adam largou a banda, se afastou dos amigos; se isolou completamente em uma bolha de solidão e dor. Ele descreve o quão arrasado – despedaçado seria a palavra mais adequada para descrevê-lo – ele ficou.  Após o acidente,  não foi apenas a vida da Mia que mudou, Adam sofreu na mesma medida. Ele agora não sabe o que fazer para suportar a dor que está sentindo. 

 Até que em uma noite ele decidi acordar, e escreve uma música, depois outra e outra e não para mais. Com isso ele voltou para banda, logo depois a banda explode nas paradas de sucesso e estava no topo do iTunes.  Enquanto isso, Mia é uma violoncelista de sucesso que acaba de entrar em turnê. Adam tinha virado uma estrela do rock, mas nem tudo isso conseguiu diminuir a dor que ele estava sentindo. Ele se afundou em um poço de amargura e sofrimento. Passou a tomar remédios para ansiedade, tinha problemas para dormir, e a cada dia ia se afundando mais e mais nessa vida. Ele se torturava com os fantasmas do passado e não consegui encontrar uma resposta que explicasse tudo o que aconteceu.

Sua voz me traz de volta à realidade. De volta à realidade do passado de três anos. Há tantas coisas que precisam ser ditas. Para onde você foi? Pensou alguma vez em mim? Você me arruinou. Você está bem? Mas, claro, não posso dizer nada disso.

Para onde ela foi é narrado em primeira pessoa, e toda a história acontece em um pouco mais de um dia, e vai relatando todas as memórias do personagens; intercalando em flashbacks o  passado e presente. A cada capítulo, a autora usa citações das músicas do personagem para descrever tudo o que ele sentiu durante esse período de três anos. Assim como em "Se eu ficar", a leitura desse livro é fluída, triste e emocionante. Uma coisa que gostei nesse livro, é que ele é completamente sentimental. O protagonista não tem medo de mostrar que ele está sofrendo, que está arrasado e não é forte o bastante para suportar tudo isso

O livro me mostrou mais da personalidade do Adam. Aquela pessoa que conhecemos no primeiro livro não existe mais. No lugar está um homem amargurado, solitário e perdido. Que não encontra na vida nada que valha a pena, que perdeu a esperança, que não tem nenhuma perspectivas para o futuro; que perdeu a paixão que tinha pela música. Ele está quebrado após perder tudo o que mais amava. O fato de eu ser uma manteiga derretida, que chora por tudo, foi o suficiente para que eu me emocionasse ainda mais com esse livro, estou mais uma vez apaixonada pelo Adam.

Confesso que senti um pouco de raiva quando comecei a ler, e muita raiva de Mia por ter abandonado o Adam. E é quando eles se reencontram, que ela explica tudo que passou, o motivo que a fez abandonar o rapaz e de nunca ter voltado. Depois disso eu compreendi todas as decisões que ela tomou. Depois desse "fechamento", Adam entende que foi ele que pediu para ela ficar, que prometeu que faria qualquer coisa para ela ficar, e com isso ele consegue enfim ter paz.

“Fiz a coisa certa. Sei disso agora. Sempre soube, mas parece tão difícil enxergar atrás da minha raiva. E tudo bem se ela tiver raiva. Tudo bem, até, se ela me odeia. E foi egoísta o que eu pedi que ela fizesse, mesmo que terminasse sendo a coisa menos egoísta que eu já fiz. A coisa menos egoísta que eu tenho de continuar fazendo. Mas eu faria de novo. Faria aquela promessa milhares de vezes e a perderia milhares de vezes para tê-la ouvido tocar a noite passada ou vê-la esta manhã à luz do sol. Ou mesmo sem isso. Só para saber que ela estava em algum lugar aí fora. Viva.”

No final do livro meu coração tinha virado pó (olha a manteiga derretida aí). Mais uma vez Gayle Forman nos deu um livro repleto de sentimentos, nos dando uma lição de amor e recomeços. Foi um final de livro lindo. Quem amou o primeiro, vai amar ainda mais esse. Uma leitura que valerá a pena.


2 comentários:

  1. Olá!

    Apesar de não ter lido o livro, já assisti o filme e amei *------*
    Resenha muito sucinta!

    Adorei seu blog e já estou seguindo!
    Bjks,

    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!! Seja bem-vinda ao Leitora Compulsiva.

      Excluir

Gostou do post? Então deixe seu comentário. Mas lembre-se, não serão aceitos comentários que contenham qualquer tipo de preconceito ou palavras de baixo calão, respeite os demais leitores.

Obrigada por comentar e volte sempre!!

© 2017 x Design e Código: Sanyt Design x Livros e Café • voltar ao topo