15 de outubro de 2016

[Resenha] Boa Noite - Pam Gonçalves

Alina quer deixar seu passado para trás. Boa aluna, boa filha, boa menina. Não que tudo isso seja ruim, mas também não faz dela a mais popular da escola. Agora, na universidade, ela quer finalmente ser legal, pertencer, começar de novo. O curso de Engenharia da Computação - em uma turma repleta de garotos que não acreditam que mulheres podem entender de números -, a vida em uma república e novos amigos parecem oferecer tudo que Alina quer. Ela só não contava que os desafios estariam muito além da sua vida social. Quando Alina decide deixar de vez o rótulo de nerd esquisitona para trás, tudo se complica. Além de festas, bebida e azaração, uma página de fofocas é criada na internet, e mensagens sobre abusos e drogas começam a pipocar. Alina não tinha como prever que seria tragada para o meio de tudo aquilo nem que teria a chance de fazer alguma diferença. De uma hora para outra, parece que o que ela mais quer é voltar para casa.

Jovem Adulto | 240 Páginas | Cortesia Galera Record | Skoob | Classificação: 4/5

Depois que li O amor nos tempos de #Likes, fiquei bem curiosa para ler o livro solo da Pam Gonçalves. Ela conseguiu me conquistar logo de cara com o seu conto "Próximo destino: Amor". Sendo assim, não via a hora de ler "Boa Noite". 

"Boa Noite" conta a história da jovem Alina. Recém formada no colégio, ela está à procura de mudanças, principalmente sobre o status de jovem nerd. Por isso, ela sai de sua cidade para cursar Engenharia da Computação. Para dar início às mudanças, ela escolhe morar em uma república, e nada melhor do que um lugar chamado a República das Loucuras para ser seu novo lar.


Logo na entrevista, ela conhece Manuela. A garota com seu jeito especial se tornará grande amiga de Alina. Na República ela também conhece Talita e Bernardo, além do proprietário, Gustavo. O começo de aula para Alina não será nada fácil. Isso porque, ela e mais três garotas são as únicas mulheres na sala de aula. E é claro que isso gerará muitos preconceitos por grande parte dos homens e até de alguns professores. Mas ela está ali para mostrar do que é capaz e nada, nem ninguém determinará o que ela pode ou não fazer, nem o seu potencial. 

“As três garotas e eu automaticamente nos unimos no primeiro dia de aula, como se precisássemos daquilo para nos protegermos, e é quase isso mesmo. Inicialmente como instinto e, depois, conscientemente com um time. ”


Pam Gonçalves soube colocar no papel uma grande parte dos preconceitos que a maioria das mulheres enfrenta. É uma grande vergonha que ainda existam esse tipo de preconceito. Será que algumas pessoas realmente pensa que nós mulheres somos menos capazes que a maioria dos homens? Que não somos inteligentes o suficiente para competir com eles por um cargo dentro de uma empresa? Que não podemos fazer nada pelo simples motivo de sermos mulheres? 

No livro também vemos como o machismo ainda está impregnado na nossa sociedade. Que além de nos julgares inferiores a eles, alguns homens pensam que as mulheres só existem para satisfazê-los; pensam que somos objetos, e que por isso, podem nos tratar da forma que quiserem. Para a maioria desses homens,  o que é bonito têm que ser apreciado. Só que na maioria das vezes eles fazem isso de uma forma bem errada. Eles não sabem a forma correta de se elogiar uma mulher. E com isso, só vai aumentando os casos de assédio.


E não foi somente sobre assédio que a Pam abordou nesse livro. Ainda lemos sobre racismo, homofobia e abusos sociais. E como muitos dos agressores saem impunes em muitos casos. Como só por terem pais que possuem grande influência, eles não serão punidos pelos crimes que cometeram.  

Quando assisti a um dos vídeos da Pam, e ela falou que seu livro seria publicado pela Galera Record e falou um pouquinho sobre esse livro; não poderia imaginar que se trataria de uma obra tão especial para muitas mulheres. Me surpreendi de uma forma muito positiva ao ler o livro. Eu acredito muito no trabalho da Pam Gonçalves, sei que se ela continuar a escrever, seus livros serão tão bons como esse foi. Foi um grande prazer conhecer um pouco dela pelos seu antigo blog, pelos seus vídeos e agora pelo seu livro. Recomendo! Espero que vocês também deem uma chance a ele.


3 comentários:

  1. Oii.. amei a resenha e o enredo do livro. Ele aborda algo extremamente interessante como o preconceito e a inferioridade que muitas mulheres sentem na pele no dia a dia, e como o machismo e determinados preconceitos ainda estão presente em nossa sociedade. O mundo evolui, evolui.. e algumas coisas nunca evoluem!
    Super leria <3
    Adorei .. beijos

    ResponderExcluir
  2. Que resenha mais linda! Eu quero muito ler o livro, mas ainda não conheço a narrativa da Pam. Eu curso Administração mas pego como matéria obrigatória Cálculo, e esse semestre resolvi pegar no campus da engenharia. Ou seja, 80% da sala era composta por homens, sem contar o campus inteiro. Me senti bem deslocada lá, até porque a matéria é extremamente difícil e vejo que há muito preconceito e desigualdades ainda nesses casos. Adoraria ler sobre o que a Pam fala disso.
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Que resenha impecável! Ameei <3
    Estou com uma enorme vontade de ler esse livro da Pam, parece ser daquelas histórias que todos devem ler e refletir, os temas que ela quis abordar foram essenciais. Isso aumenta mais meu interedde pela leitura. Acompanhei pelo canal dela o processo de escrita,isso nos deixa mais próximos a história também!
    A propósito, adorei seu blog *-*

    Beijo,beijos
    relicariodehistoriasma.blogspot.com

    ResponderExcluir

Gostou do post? Então deixe seu comentário. Mas lembre-se, não serão aceitos comentários que contenham qualquer tipo de preconceito ou palavras de baixo calão, respeite os demais leitores.

Obrigada por comentar e volte sempre!!

© 2017 x Design e Código: Sanyt Design x Livros e Café • voltar ao topo