1 de novembro de 2016

[Resenha] Como Tatuagem - Walter Tierno

Artur é um cara rico, superficial e egoísta. Bonito e popular entre as mulheres, não tem o menor respeito por elas — sua vida amorosa se resume a colecionar parceiras na cama. Essa rotina de prazeres e privilégios é interrompida quando ele sofre um grave acidente de carro. Para ajudá-lo a se recuperar, sua mãe contrata a fisioterapeuta Lúcia. Desde criança, Lúcia sofre o preconceito que persegue os portadores de vitiligo. Sua mãe sempre esteve presente para apoiá-la e fazê-la enfrentar os obstáculos que a vida lhe impõe. De temperamento doce, porém decidido, Lúcia tem uma consciência peculiar e aguda sobre o mundo. Mas, quando se vê sem o amparo materno, suas certezas desabam.O encontro de duas pessoas tão diferentes vai gerar muito atrito, mas com o tempo Lúcia e Artur vão descobrir algumas das infinitas facetas do amor e, entre conquistas, medos, perdas e paixões, verão suas vidas transformadas para sempre.
Romance | 308 Páginas | Cortesia Galera Record | Skoob | Classificação: 4/5

Artur é um jovem rico, mimado e muito egocêntrico; que tem praticamente tudo na vida. Campeão de Taekwondo, a única coisa que importa para ele é ganhar uma competição que está para acontecer. Artur é daqueles que usa as mulheres apenas em busca de prazer e as descarta logo em seguida. Mas tudo muda na sua vida quando sofre um acidente de carro. Ao acordar no hospital, descobre que no momento do acidente, suas pernas foram esmagadas e por isso, os médicos tiveram que amputá-las. A partir daí, para Artur nada fará com que ele seja completo novamente. Ainda mais por não poder competir mais.



Agora Artur precisará passar por sessões de fisioterapias, mas como fazer isso se ele não respeita nenhum dos profissionais que o visitou? Sempre sendo desagradável, grosseiro e sarcástico com todos? Tudo começa a mudar a partir do dia em que conhece Lúcia, sua nova fisioterapeuta. 

Lúcia é uma fisioterapeuta que trabalhava numa clínica onde já teve contato com muitas pessoas que já passaram pela mesma situação que Artur está vivendo. Mas sua vida não é nada fácil. Ela muitas vezes já foi vítima de preconceitos dentro da clínica, por conta de uma doença de pele chamada vitiligo. Desde criança ela sofre com olhares e com o preconceito de pessoas que não entendem a doença. 

A história é narrada intercalando entre os dois personagens, o que tornou a leitura muito boa. De início somos apresentados a vida dos dois. Para mim, o que mais me agradou no livro foram as partes narradas pela Lúcia. A narrativa pela parte do Artur foi boa, mas a quantidade de palavrões, gírias, palavras de baixo calão, me incomodaram bastante. Compreendo que o autor quis que os leitores se sentissem próximos dos protagonistas, mas esse detalhe no livro não me agradou.



Lúcia é uma pessoa de personalidade bem firme, muito gentil e também doce; o que balanceou muito com a personalidade do Artur, e também contribuiu para que ele mudasse. Artur é extremamente machista, e muitas vezes eu quis socar a cara dele até ele aprender a respeitas as pessoas. Walter acertou em cheio em mostrar isso no livro, de como existem muitos homens desse tipo no mundo, e que mesmo essas pessoas têm como mudar (eu acho). 

O romance entre o casal não foi dos mais emocionantes que li, mas existe. São duas pessoas que já sofreram na vida, que perderam praticamente tudo, mas que de certa forma, conseguem encontrar no outro uma forma se seguir em frente e ser feliz. Lúcia é a responsável pela mudança em Artur; sempre motivando o rapaz a seguir em frente, a enfrentar seus medos, fazendo com que ele supere os traumas do acidente. 

Não conhecia muito da obra antes de solicitá-la, fui conhecer mais sobre Walter Tierno quando comecei a ler o livro. Toda a história do livro é ambientada em São Paulo, o que achei incrível, ainda mais quando era mencionado algum lugar da capital que eu conheço ou por onde já passei. A diagramação está perfeita como sempre, as letras de cada capítulos são diferentes e a capa também foi algo que gostei bastante.


Como Tatuagem foi uma agradável surpresa. Confesso que não esperava muito da obra, mas fiquei feliz por estar errada. O livro vale a pena ser lido. É uma história de amor, superação e evolução. 



2 comentários:

  1. Oi! Eu tô lendo história bem parecida (é meio clichê até, jogador que sofre acidente fica com assistente/fisioterapeuta), enfim, mas eu adoraria ler, até porque eu não conheço muito bem a doença da Leila e nunca li nada sobre amputar as pernas. Parece interessante!
    Beijo, Leitora Encantada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olááá!

      De primeira até parece mesmo uma história beeeem clichê, mas a gente acaba gostando...

      Excluir

Gostou do post? Então deixe seu comentário. Mas lembre-se, não serão aceitos comentários que contenham qualquer tipo de preconceito ou palavras de baixo calão, respeite os demais leitores.

Obrigada por comentar e volte sempre!!

© 2017 x Design e Código: Sanyt Design x Livros e Café • voltar ao topo