10 de janeiro de 2017

[Resenha] Dois garotos se beijando - David Levithan

Baseado em fatos reais e em parte narrado por uma geração que morreu em decorrência da Aids, o livro segue os passos de Harry e Craig, dois jovens de 17 anos que estão prestes a participar de um desafio: 32 horas se beijando para figurar no Livro dos Recordes. Enquanto tentam cumprir sua meta — e quebrar alguns tabus —, os dois chamam a atenção de outros jovens que também precisam lidar com questões universais como amor, identidade e a sensação de pertencer.

Jovem Adulto | 224 Páginas | Editora Galera Record | Skoob | Classificação:  5/5 


“Vocês não tem como sabe como é para nós agora; sempre estarão um passo atrás. Agradeçam por isso.”

Conheci o autor David Levithan através do livro "Will & Will", que infelizmente não tem resenha aqui no blog, mas posso dizer com toda a certeza que foi uma leitura incrível. Ano passado comprei um box do autor que contem três livros: Garoto encontra garoto, Dois garotos se beijando e Will & Will. Os livros ficaram na minha estante, e esse ano, decidi ler “Dois garotos se Beijando”. Creio que todos que já leram algum livro do David Levithan sabe os assuntos que ele costuma tratar em seus livros. Muitas vezes seus livros fala sobre a homossexualidade. Nem sempre esses livros são tão bem recebidos, muitos são alvos de críticas e protestos.

“Foi uma ironia delicada:  quando paramos de querer nos matar, começamos a morrer.”

Quem começa a ler “Dois garotos se Beijando” se sente um pouco perdido no começo. Se você não ler a sinopse, você não saberá quem é o narrador. Durante a narrativa, somos apresentados a vidas de sete jovens. Lemos sobre suas vidas e sobre os preconceitos que eles precisam enfrentar. O ponto principal no livro é o record que Harry e Craig querem quebrar. Esse desafio é para entrar no livro de records com o beijo mais longo do mundo. Para isso, eles contam com a ajuda de seus amigos, professores e coordenadores da escola. Decidido o dia, eles vão até o gramado da escola, acompanhados de várias câmeras para gravarem e transmitirem o acontecimento ao vivo para o mundo todo. Para que seja possível, eles também contam com a ajuda da policia para garantirem a segurança de todos que estão ali.



Quando o evento começa a se espalhar, o gramado da escola começa a se encher de pessoas que querem ver de perto - seja para apoiar ou para protestarem contra. Harry e Craig  sabiam que não seria fácil para eles, que haveriam pessoas que os xingariam, que os ofenderiam. Durante o período em que estão ali, a história dos dois garotos começa a ganhar uma grande repercussão. Pessoas de vários países declaram seu apoio através de depoimentos em sites, blogs e em redes sociais. Mas como sempre, há aquelas pessoas que não entendem e começam a tentar atingi-los com palavras e até mesmo agressões. No entanto, o que Craig mais teme é a reação de sua família que não sabe sobre ele, nem sabe sobre o beijo.

“E sua mãe acompanharia seu pai nisso.  Eles tinham suas crenças. E suas crenças eram mais fortes do que qualquer crença que tinham nele.”
“Nossos beijos eram sísmicos. Quando vistos pela pessoa errado, podiam nos destruir. Quando compartilhados com a pessoa certa, tinham o poder da confirmação, a força do destino.”

Em contrapartida, vemos outro casal: Avery e Ryan. Ambos se conheceram durante uma festa. No dia seguinte, eles decidiram se conhecer melhor. Na mente de Avery, Ryan não o aceitaria. Isso porque Avery é transexual.

 Neil e Peter namoram há algum tempo. E, embora os pais de Neil saberem sobre o garoto, eles ainda se mantém afastados, como se entendessem, mas ao mesmo tempo não aceitassem muito bem. Os pais de Peter conhecem Neil e o adora. Já os pais de Neil sabem sobre o relacionamento do filho, mas nunca tocam no assunto.  

Também conhecemos Cooper. Diferente dos outros personagens, os pais dele não sabem sobre a orientação sexual do filho. Até o dia que por um descuido, eles acabam descobrindo da pior forma. A reação dos pais foi muito diferente do que Cooper imaginara. Para não ter que continuar brigando com o pai, Cooper foge; pega o carro e vai embora sem saber para onde ir. Agora Cooper precisa decidir que destino segui, ou se voltaria para casa e enfrentaria os pais.

“Nossa expectativa de desafio não é nenhum pouco como a experiência de desafio em si. Se pudéssemos sentir as coisas que tememos antes da hora, ficaríamos traumatizados.



Com esse livro David Levithan se tornou um dos meus escritores favoritos. Fiquei presa na história, sem conseguir parar nem por um minuto. A narrativa é incrível. As mensagem que o livro traz são para refletir. As frases que encontrei durante a leitura tornam o livro ainda melhor e marcante.

“Sabemos que alguns de vocês ainda sentem medo. Sabemos que alguns de vocês ainda estão em silêncio. Só porque está melhor agora não quer dizer que é sempre bom.”

Como disse no começo da resenha, a narração desse livro é feita de forma diferente. Ele é narrado por uma geração que morreu em decorrência da AIDS. Essa forma de narrar o livro foi uma ótima surpresa para mim. A todo momento, eles torcem por essa geração. Torce pelo futuro dos jovens. Outro ponto forte nesse livro são, é claro, os personagem. Embora nenhum deles se conheçam, eles são parecido pelas histórias, pelas experiência, pelo sofrimento; esse é o fator que mais os aproximam. A luta de cada um deles é igual, os preconceitos sofridos são os mesmo, as dificuldades sãs as mesmas.  

“O silencio é igual a morte, nós dizíamos. E por baixo disso havia a suposição, o medo de que a morte fosse igual ao silêncio.”

Dois Garotos se Beijando” acima de tudo traz no seu conteúdo uma enorme critica a sociedade. Ao preconceito que está presente em cada canto. O livro é leve e fluido, mesmo tendo um conteúdo pesado. É um livro pequeno, mas com uma narrativa emocionante, reflexiva e impactante.

Se você é fã do autor, gosta de livros com assuntos pertinentes ao mundo em que vivemos; busca um livro com lições valiosas, um livro emocionante, eu indico “Dois garotos se Beijando”.  

“A ignorância não traz felicidade. Felicidade é saber o significado total do que se recebeu.”





20 comentários:

  1. ha ha ha, agora sei que o livro se trata muito mais do que apenas dois garotos, tenho vontade de ler o livro, mas nunca li a sinopse dele, ele deve ser uma leitura bem interessante e ainda lida com homossexualidade é sempre um assunto inteligente a ser explorado.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  2. Oi. Primeiro, parabéns pela resenha.
    divulgando na fanpage Literatura LGBT, espero encontrar mais resenhas com temática do tipo por aqui e poder compartilhar com outras pessoas.
    Infelizmente, ainda não tive o prazer de ler o livro, mas está em minha meta de leitura.

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?
    Eu nunca li livros do autor, mas já ouvi falar bastante sobre eles. Acho que histórias que abordam o homossexualismo e seus problemas, merecem cada vez mais voz, pois quem sabe assim, as pessoas percebam quanto o preconceito é um veneno.
    Parabéns pela resenha, gostei muito!

    ResponderExcluir
  4. Vi algumas resenhas sobre esse livro, todos falam que é muito bom, mas não sou mt fan de romances, acho meio enjoativo hahaha mas gostei da forma q escreveu sua resenha, colocando quotes do livro.
    beijos

    ResponderExcluir
  5. A trama parece ser intensa e mostrar a realidade, com sua crítica. Gostei de conferir a sua opinião sobre a obra e eu tenho uma certa curiosidade para poder realizar a leitura também.

    ResponderExcluir
  6. Nunca li nada do Autor, apesar de ter vontade. Já imaginava esta reação contrária ao beijo. Que coragem os dois tiveram. E pelo visto, ano é só os dois que vão precisar desta coragem, mas os outros guris também.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Oi.

    Eu ainda não tive a oportunidade de ler algo deste autor, mesmo tendo ouvido vários comentários positivos.

    Meu plano era justamente começar a conhecer a escrita do autor a partir deste livro, acho a temática muito interessante. Pelo que pude ver através de sua resenha irei me emocionar com esta história.

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?
    Acabei de ler em outro blog uma resenha tratando a homossexualidade. Estou adorando ver esse tema sendo abordado de forma tão comum e com enfase. O livro me parece interessante e a premissa é bem legal. Vou anotar a sua dica sim. Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?

    Eu vi esse livro em outro blog, aborda a homossexualidade. Esse livro tem uma premissa interessante e parece que nos tira da zona de conforto!
    Bjuss

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem? Parabéns pela resenha e primeiramente nunca li nada do David Levithan ainda. Sempre tive curiosidade mas nunca tempo de ler. Sua resenha me lembrou porque eu devo apostar nele. Adorei!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. OIe,
    Gostei muito da resenha. Já havia lido outras resenhas desse livro, mas nenhuma me mostrou a profundidade da leitura como a sua resenha mostrou. Acho que esse seria um livro que eu não gostaria de ler no momento, pois como você mesma disse ele é um pouco pesado, mas achei a historia simplesmente linda e fiquei com vontade de conhecer outros livros do autor posteriormente.
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      Obrigada pelo comentário. Fico feliz que tenha gostado do livro.

      Excluir
  12. Olá! Gostei bastante da sua resenha. Ainda não conhecia o livro e nem o autor. Muito bom você compartilhar a leitura no blog, super bjoooooo

    ResponderExcluir
  13. Já tinha visto o livro mas não tinha lido ainda. Gostei muito da sua resenha, explica muito bem e eu gostaria muito de ler o livro sim.

    Boutique de Clichês

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?

    Esse livro tá um tempão na minha lista de desejo. As resenhas que leio sempre dizem que é emocionante e marcante. Planejo lê-lo agora nas férias, pois consegui um exemplar, finalmente. Fico bem curiosa para conhecer os personagens e a narração.
    Só sugiro que, por favor, substitua "homossexualismo" por "homossexualidade". Dizendo "homossexualismo", você perpetua o pensamento de que isso é uma doença.

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nina.
      Muito obrigada pelo comentário e obrigada pela dica!

      Excluir
  15. Essa confusão de quem é o narrador é característico do autor David. Já li Will e Will dele e percebi isso. Aliás, gosto do jeito que ele escreve, mas como não fiquei encantada com o último livro que li dele, não sei se eu leria esse.

    ResponderExcluir
  16. Oie,
    Li esse livro e não fiquei interessada porque a escrita do David não me conquistou nesse livro. O ponto positivo é a critica social e a quebra de tabus. No geral, poderiam se aprofundar nas personagens.

    ResponderExcluir
  17. Li alguns livros do autor e gosto muito da sua escrita,tenho will and will na estante mas ainda não li e agora estou curiosa para ler dois garotos se beijando

    ResponderExcluir

Gostou do post? Então deixe seu comentário. Mas lembre-se, não serão aceitos comentários que contenham qualquer tipo de preconceito ou palavras de baixo calão, respeite os demais leitores.

Obrigada por comentar e volte sempre!!

© 2017 x Design e Código: Sanyt Design x Livros e Café • voltar ao topo