Um encantador realismo mágico à la irmãs Brontë 
Na cidade galesa do início do século XIX, não há ninguém como Morgana. Embora seu raciocínio seja afiado, ela não fala desde que era menina. Seu silêncio é um mistério, assim como seus dons mágicos e a má sorte que bate à porta dos que lhe fazem mal. Preocupada com a segurança da filha, sua mãe não vê a hora de casar Morgana, e o tropeiro Cai Jenkins, parece a melhor escolha. Após o casamento, ela logo se apaixona pela fazenda de Cai e as montanhas selvagens que a rodeiam. Suas estranhas habilidades começam a ser notadas na aldeia. Uma força maligna está agindo no local — uma pessoa que não sossegará até fazer com que todos se virem contra Morgana, mesmo à custa daqueles mais próximos a ela. Forçada a proteger sua casa, seu homem e a si de todo o mal que se possa imaginar, Morgana deve aprender a controlar o próprio poder... ou acabará perdendo tudo.

Fantasia | 322 Páginas | Cortesia Galera Record | Skoob | Classificação:  3/5

Quando recebi o e-mail da editora com os lançamentos do mês, fiquei muito interessada em realizar a leitura de A Feiticeira do Inverno. E quando o recebi, não pude resistir a tentação de colocar o livro na frente das outras leituras.

No livro somos apresentados a Morgana. A jovem vivia com sua mãe, que com medo de que a moça ficasse sozinha quando ela partisse, aceitou em nome de sua filha o pedido de casamento de um homem. Cai Jenkins é um condutor de rebanhos que precisava de uma nova esposa para se tornar o líder do condutores. Essa pessoa é o responsável pela negociação em nome de todos os moradores da cidade.  

Morgana não fala desde que seu pai foi embora. Ela tem muita dificuldade em se comunicar, já que não foi educada da forma correta quando criança. A jovem tem uma relação muito forte com a natureza, e quando chega na fazendo de seu marido, fica encantada com o lugar. Conforme o tempo passa e a convivência com Cai vai se tornando cada vez melhor, Morgana começa a enxergar um futuro ali, sendo a senhora Ffynnon Las, amando seu marido e sendo amada por ele. Mas para conseguir ser feliz, ela precisará enfrentar grandes desafios: o preconceito do povo que vive ali e uma força maligna que está disposta a tudo para conseguir o que quer.   



A narrativa é feita em terceira pessoa. Gostei bastante dos personagens. Gostei da relação do Cai com a Morgana. Mesmo sem falar, a comunicação entre os dois era incrível. Cai compreendia como ninguém sua esposa, ele conseguia interpretar as reações no rosto dela e saber no que ela estava pensando. Também gostei de alguns personagens secundários, como a Sra. Jones - que é mais como a governanta da casa.

Uma leitura fluida, envolvente e que te prende. E, embora não tenha gostado que a autora deixasse toda a ação para o final, isso não atrapalhou em nada a leitura. Estava empolgada para ler A Feiticeira do Inverno e preciso dizer que não me decepcionou. Recomendo! 




Um Comentário

  1. Oiee, essa é a segunda resenha que vejo sobre esse livro e mais uma vez me apaixonei por essa capa lindissima! sem falar que amo uma boa fantasia e esta parece ser a pegada do livro, ansiosa para ler em breve!

    Bjs Jany

    www.leituraentreamigas.com.br

    ResponderExcluir

Gostou do post? Então deixe seu comentário. Mas lembre-se, não serão aceitos comentários que contenham qualquer tipo de preconceito ou palavras de baixo calão, respeite os demais leitores.

Obrigada por comentar e volte sempre!!