9 de fevereiro de 2017

[Resenha] Peça-me O Que Quiser, Agora e Sempre - Megan Maxwell

A continuação da surpreendente história de amor e sexo entre uma espanhola e um alemão, Judith terá que tomar a decisão mais difícil de sua vida. Será que viver sua paixão é tudo o que realmente importa? Decidida a se afastar para sempre de Eric Zimmerman, Judith pede demissão da empresa Müller. Para se recuperar, resolve se refugiar por um tempo em Jerez, com seu pai. Desesperado com a partida de Jud, Eric vai atrás de seu amor. “algo tão inesperado como você está trazendo emoção a um amargurado alemão. Onde você estava durante toda a minha vida?”, confessa Iceman. Ela resiste o quanto pode, mas a atração entre eles continua forte, e as fantasias sexuais mais vivas do que nunca. Mas desta vez é Judith quem impõe suas condições, e ele deve aceitar para não perdê-la. Tudo parece bem outra vez, até que uma ligação inesperada obriga o casal a interromper a reconciliação: a família de Eric o chama com urgência, e os dois voam para Munique. Judith procura se adaptar ao novo ambiente numa cidade que lhe parece hostil. Longe de seu mundo, terá de decidir se deve de fato dar uma nova oportunidade ao relacionamento, embora tenha plena consciência do quanto o deseja: “antes eu tinha três vícios. Coca-cola, morangos e chocolate. Agora acrescento um, mais forte e poderoso, chamado Eric. Eu o desejo... Desejo e desejo. Não importa a hora, o momento ou o lugar... Eu o desejo.”. Poderá o amor vencer as diferenças e transformar suas vidas?

Erótico (+18) | 332 Páginas | Editora Suma de Letras | Skoob | Classificação: 4/5


Série Peça-me O Que Quiser

2. Peça-me O Que Quiser, Agora e Sempre
3. Peça-me O Que Quiser ou Deixe-me
4. Peça-me o que Quiser e Eu Te Darei

– Você tá começando a ficar perigosa. Muito Perigosa.

Assim que terminei a leitura de Peça-me o que quiser, precisei ler Peça-me o que quiser, agora e sempre e saber se a narrativa continuaria igual ao livro anterior. Cheguei ao final do primeiro livro sem saber como me sentia em relação a ele. Estava torcendo para que neste segundo livro as contastes brigas do casal diminuísse um pouco e que eles conseguissem ficar um livro inteiro juntos. Posso dizer que gostei um pouco mais desse livro do que de seu antecessor. Como já estava mais acostumada com as cenas eróticas, consegui ler sem fazer julgamentos e me concentrei no romance envolvendo os protagonistas.

Em Peça-me o que quiser, agora e sempre, Jud vai morar com Eric na Alemanha. Todos sabem como é difícil ir morar em um lugar diferente; de como demora para se adaptar a este lugar. Judith sente muita falta do pai e da irmã. Sem contar que Eric tem um sobrinho que não foi com a cara da moça e faz de tudo para que ela vá embora. Outro ponto diferente é que em Peça-me o que quiser a protagonista morria de vergonha ao falar sobre sexo, agora ela já está mais solta e segura do que quer. Judith está bem diferente nesse livro. Infelizmente, o casal continua brigando como cães e gatos. Ambos são muito teimosos e possessivos. A verdade é que Jud parece aquelas crianças birrentas, que fica de cara virada com tudo. Tinha momentos no livro em que ela estava muito chata. 

"- Não sei o que fazer contigo, Jud. Te amo, mas você me enlouquece. Preciso de você, mas você me deixa desesperado. Te adoro, mas..."

Senti que teve um pouco mais romance neste livro. Se no primeiro tudo começou com o desejo, a atração que o casal sentia, agora eles estão caminhando para um relacionamento mais maduro; mesmo brigando muito. Além de Judith e Eric, vemos a inserção de personagens secundários que fizeram uma grande diferença na narrativa.

Encerro a resenha dizendo que o livro melhorou em relação ao livro anterior. Volto a dizer que é uma leitura recomendada para quem gosta do gênero e não se importa com as cenas de sexo ou com os diálogos. Essa  trilogia precisa ser  lida com uma mente aberta e sem julgamentos ou preconceitos.




Um comentário:

  1. Oi, Dani. Peça-me o que quiser é a minha trilogia favorita sabe? Então sou bem suspeita para falar. Eu gosto de casal que briga, entende? Porque mostra que eles realmente se gostam. O fato do Eric tentar controlar a vida da Jud não me agrada e eu batia o pé com ela também. O Flynn também é um menino bem irritante, então eu ficaria puta também... Acostume-se, porque nos próximos livros da série eles brigam mais ainda.
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir

Gostou do post? Então deixe seu comentário. Mas lembre-se, não serão aceitos comentários que contenham qualquer tipo de preconceito ou palavras de baixo calão, respeite os demais leitores.

Obrigada por comentar e volte sempre!!

© 2017 x Design e Código: Sanyt Design x Livros e Café • voltar ao topo