Ela é doce, sensível e extremamente sofrida: tem dezesseis anos, mas a maturidade de uma mulher marcada pelas provações e privações da pobreza, o pulso forte e a têmpera de quem cria os irmãos menores como filhos há anos, e só uma pessoa conhece a mágoa e a abnegação que se escondem por trás de seus tristes olhos azuis.Ele é brilhante, generoso e altamente responsável: tem dezessete anos, mas a fibra e o senso de dever de um pai de família, lutando contra tudo e contra todos para mantê-la unida, e só uma pessoa conhece a grandeza e a força de caráter que se escondem por trás daqueles intensos olhos verdes.Eles são irmão e irmã.Com extrema sutileza psicológica e sensibilidade poética, cenas de inesquecível beleza visual e diálogos de porte dramatúrgico, Suzuma tece uma tapeçaria visceralmente humana, fazendo pouco a pouco aflorar dos fios simples do quotidiano um assombroso mito eterno em toda a sua riqueza, mistério e profundidade.

 Romance  Contemporâneo | 304 Páginas | Editora Valentina | Skoob | Classificação: 5/5  | Leia um trecho aqui 

"Como uma coisa tão errada pode parecer tão certa?"

Como um livro pode me deixar tão arrasada? Já faz alguns meses que li esse livro, mas até agora, não havia postado a resenha dele, porque, para mim, ela não estava completa; eu não havia escrito nela tudo o que senti enquanto estava lendo “Proibido”. Posso descrever a leitura do livro como arrasadora. Fico tentando encontrar uma forma de começar essa resenha, de começar a descrever cada parte do livro, cada parte que me deixou à beira das lágrimas, chorando pelos cantos, ou tentando esconder as lágrimas de quem estava ao meu lado. Todos que escrevem resenhas já passou por isso: não saber o que escrever, nesse caso não existem palavras que descrevam a metade do que sentimos ou do que queremos passar para os leitores. Tentarei, mas tenho certeza que não conseguirei expressar tudo o que quero falar sobre esse livro.

Primeiramente, para ler esse livro, você precisa ter uma mente aberta. Creio que nem todos gostarão do tema do livro. Alguns se sentirão incomodado pela narrativa, outros julgarão o conteúdo. Por isso, tenha uma mente aberta e, também, abra seu coração para sentir tudo o que a leitura desse livro lhe proporcionará. Logo no início do livro, eu sabia que não ficaria bem quando chegasse ao fim. Foi uma montanha-russa de emoções, que espero que vocês também sintam ao ler essa obra.   

A trama gira em torno de Maya e seu irmão Lochan. Eles são basicamente os responsáveis pelo cuidado casa, cuidado dos irmãos, e por manter a família unida. Seu pai os abandonou quando eles eras crianças, e por ser o mais velho, Lochan se viu na posição de responsável por tudo dentro de casa. Ele sempre pôde contar com a ajuda de Maya para tudo, ela sempre foi seu porto seguro, a pessoa que ele mais confiava.  A mãe das crianças é uma alcoólatra, que não se importa com os filhos. Digo isso pelo fato de ela estar sempre bêbada, vive saindo para se divertir, ficando dias fora de casa, sem querer saber como estão os filhos, os abandonando e deixando o peso da responsabilidade nas costas de seus filhos mais velhos.

Lochan e Maya precisam dividir seu tempo entre cuidar dos irmãos, escola, tarefas da casa e manter as crianças na linha e longe de problemas, deixando-os sempre sobrecarregados. Além disso, Lochan ainda enfrenta dificuldades para se socializar com outras pessoas, principalmente na escola, tornando-se alvo de olhares por parte de seus colegas. Porém, sempre encontra apoio em Maya, sempre quando tudo parece que não tem mais jeito, quando tudo fica difícil de suportar.  

“Antes que houvesse qualquer coisa, havia Lochan. Quando olho para o passado, com seus dezesseis anos e meio, Lochan sempre esteve nele. Indo para a escola ao meu lado, me empurrando num carrinho de supermercado a toda a velocidade por um estacionamento vazio, vindo me socorrer no pátio da escola quando provoquei uma rebelião por chamar a queridinha da turma de “burra”. [...] Agora sei que nem sempre Lochan vai estar aqui, que não vai poder me proteger eternamente."

A leitura desse livro não é fácil. Não somente pelo tema que ele aborda, mas por tudo o que as crianças precisam enfrentar, por tudo o que Lochan e Maya precisam enfrentar para proteger os irmãos. O maior medo dos dois, é que alguém descubra que eles foram “abandonados” pela mãe e que os separem de alguma forma. O livro não aborda apenas um único assunto, ele dá um "tapa na cara", nos fazendo perceber que a autora quis mostrar além do que está nas páginas. Ela faz claramente uma crítica social. Ela faz isso com leveza e sensibilidade, que fica muito difícil não se envolver com todo o drama que envolve os personagens.

Tabitha Suzuma criou uma história maravilhosa, linda, emocionante. Ao mesmo tempo em que eu não queria parar de ler, eu precisava, porque não estava conseguindo continuar. Eu sofri demais! Eu sorri, eu chorei, eu me revoltei. Eu quis abraçar os personagens, consolá-los de alguma forma. Os personagens que Suzuma construiu são reais, com problemas reais, com sentimentos reais… Eu me apaixonei por cada um deles, sem restrições. Tabitha me ganhou, ela ganhou meu coração, a minha total atenção desde as primeiras páginas do livro. A forma como ela desenvolveu o relacionamento de Maya e Lochan foi tão natural, que por vezes, esquecia que era um amor proibido e torcia com fervor para os dois. O amor dos dois cresceu a partir de cada momento compartilhado juntos, de cada conversa, de cada momento de tristeza pela mãe, pelo sofrimento de ambos, pela amizade verdadeira, pelo apoio que eles encontravam no outro.

E, embora tenha caído de amores pela narrativa, meu ódio pela mãe das crianças foi às alturas. Odiei cada coisa pelo qual eles tiveram que passar, por todo o sofrimento. O que me incomodou não foi o incesto, mas todo o drama da família. 
Suzuma criou uma história emocionante, arrasadora, tocante; é triste, é pesada, é envolvente. O livro deixará o leitor encantado, apaixonado e também revoltado. O final é revoltante, que eu não consegui acreditar que tudo tenha terminado daquela forma. Meu coração foi mais uma vez partido pela história de um livro.

Proibido é um livro que, para você ler, precisa estar preparado para tudo o que sentirá durante a leitura. É preciso estar preparado para chorar muito. Ele tornou-se meu favorito, um dos mais lindo que já li. Tabitha Suzuma me ganhou e me surpreendeu. No final do livro, eu estava desse jeito:






29 Comentários

  1. Olá
    Também já fiz essa leitura e sempre digo o quanto a trama é impactante, claro que quem leu sabe sobre como e porque estou me referindo né?! Surpreende muito mesmo, assim como também concordo que a história não é nem um pouco fácil. Adorei poder conferir suas impressões, e o melhor é ter me identificado com suas palavras.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  2. Uau! Não sei o que dizer. Adorei a sua resenha com a sua sinceridade sobre o livro ser "pesado". Não sei se estou pronta para ler, mesmo não sabendo o que acontece por completo, mas pelo que você escreveu eu não tenho certeza se será ideal eu ler esse livro. Adorei a resenha. Adorei.

    ResponderExcluir
  3. Oie...
    Sempre vejo excelentes comentários sobre essa obra, mas, infelizmente, ainda não tive oportunidade de ler. Tenho certeza que é uma obra bem emocionante, capaz de deixar marcas no leitor, principalmente, depois de suas palavras cheias de convicção.
    Vou anotar nos desejados ;)
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi Dani,
    ainda não li esse livro por pura covardia, vontade eu tenho e muita, mas cadê a coragem? Juro que não estou preparada para me apegar a esse povo e sofrer uma dor tão grande, porque sim, o livro é tão comentado que eu já peguei um mega spoiler e eu sei como tudo termina, pelo menos eu conheço o desfecho trágico de um certo personagem. A cada resenha que leio fico mais aflita e ansiosa por essa sensação dúbia que o livro causa em quase todos os leitores, estou tentando me segurar, mas provavelmente desse ano não passa, mas também já está na hora de criar coragem e me jogar.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo seu medo. Já fique assim antes de ler alguns livros que eu sabia que ficaria arrasada. Mas depois acabo lendo.

      Excluir
  5. Olá Dani,
    Você falou tudo sobre esse livro. Ele tem uma narrativa que podemos nos apaixonar facilmente, mas o ódio pela mãe das crianças é eterno, não é? Acho que essa é uma das poucas obras que destroçou meu coração em milhares de pedaços. Existem outras que o destroem, mas essa, até hoje, superou.
    Adorei sua resenha, está perfeita!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!

      Eu ainda não esqueci o ódio pela mãe deles. Acho que nunca esquecerei esse livro.

      Excluir
  6. Oii tudo bem
    Eu via um pouco desse livro aqui e ali, mas nunca tinha parado para ler uma resenha e conhecer a obra um pouco mais a fundo. E adorei. A resenha é autêntica e adorei saber um pouco mais sobre a obra também.

    ResponderExcluir
  7. Diante de tudo o que vc escreveu não tem como não querer ler logo esse livro. O enredo parece ser bem forte e gosto muito de histórias assim com uma carga dramática. Já acompanhei a série Pétalas ao vento que também lidava com incesto e é impactante, e assim como nesse livro também existem fatores que "tentam" justificar o envolvimento dos personagens. Embora seja bem difícil entrar em minha cabeça. Simplesmente adorei a resenha. Dica anotada.

    *☆* Atraentemente *☆*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi.

      Ainda não conhecia essa série que você mencionou. Não verdade eles não tentam justificar, eles a todo momento dizem que o que eles estão fazendo não é certo. Acho que a autora quis mostrar que, não devemos direcionar toda a nossa revolta no caso de Maya e Lochan, mas sim ver tudo o que o livro mostra. Eu me revoltei mais com a mãe deles dois, do que com a relação dos irmãos.

      Excluir
  8. Tenho bastante interesse em ler esse livro e pela sua resenha pude sentir que a emoção realmente é forte. Imagino que para Maya e Lochan seja mesmo difícil lidar com toda a situação e ter que encarar as responsabilidades ainda que novos. Acho que sentiria raiva da mãe deles e até do pai por tê-los abandonados. Certamente não deve ser uma leitura fácil e estou morrendo de curiosidade para conferir em breve. Amei a resenha!

    www.virandoamor.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Não é mesmo fácil. Mas vale a leitura.

      Excluir
  9. Oie! Tudo bem?

    Diferente da maioria das pessoas, esse livro não chama a minha atenção, acredito que foi por ter lido tanta resenha positiva sobre ele na época do lançamento, e ficar com um pé atrás por causa disso, ou se realmente falta algo nele que desperte meu interesse, por isso por hora passo a dica!

    BJss

    ResponderExcluir
  10. Olá! eu já tentei ler este livro e não consegui prosseguir na leitura, Como vc disse é uma leitura pesada e tem que ter uma mente aberta. Eu já ouvi histórias reais de irmãos que tiveram algo deste tipo. Mas para haver algo assim creio que o contexto de vida, deve ser bem diferentes do que de costume. Bom adorei a resenha, e ela descreveu tudo que eu imaginava que esta leitura poderia causar em quem lesse.

    Abraço

    Bia

    ResponderExcluir
  11. Oiii tudo bem??

    Esse livro mexeu muito comigo, eu parei de ler pq me julguei de estar lendo algo que não sou a favor, e por estar gostando, me senti péssima.
    Mas pretendo voltar a ler assim que possível, pois a historia é boa e tem que saber discernir uma coisa da outra. Amei a resenha.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  12. Oiee! Faz tempo que não leio nenhuma livro assim, a ponte de me deixar arrasada rs.
    Achei interessante a premissa, me chamou a atenção. Vou colocar na lista e irei ler com certeza.
    Adorei a resenha! Parabéns <3
    Beijooos!

    ResponderExcluir
  13. Oi Dani! Sei o assunto que o livro trata! Sua resenha me deixou mais do que curiosa para ler. É um tema bem forte, que é um tapa na face mesmo! Só de ler sua resenha, já fiquei com raiva da mãe deles. É uma leitura que farei esse ano com certeza! Parabéns pela resenha! Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Oiii!!
    Caraca que livro complicado de ler. Gostei muito da sinceridade na sua resenha, conseguiu demonstrar que, realmente o livro foi arrasador para você. Eu leria só que mais para frente, li recentemente um livro muito arrasador para mim, então não estou querendo chorar tão cedo. Fico pensando, o que passa na cabeça de uma mãe em abandonar os filhos, mas vai saber o que essa mãe tem para ter feito isso, drogas por exemplo, fazem as pessoas ficarem totalmente fora de si, e pode ser o caso da mãe deles. Dica anotada, só que vou me preparar bastante antes de fazer essa leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Desde que eu soube sobre o tema do livro, tenho vontade de lê-lo. Eu fico fulo quando vejo pessoas que se dizem "leitores" rejeitam um livro pelo seu tema ou pelo gênero, pois acho para termos opinões concretas sobre algo (tema, gênero e afins) é preciso ter conhecido alguma coisa antes.
    Já li algumas coisas sobre a obra, e sem dúvida a sensibilidade que a autora usa para tratar um tema polêmico e pouco visto (tanto na mídia quanto em obras literárias) a ponto de fazer o leitor de alguma forma, entrar na trama é maravilhosa. Todas as críticas que li até agora, é sempre elogiando o trabalho da autora e a originalidade do enredo. Não vejo a hora de ler Proibido. Beijos do Wes

    ResponderExcluir
  16. OOi!
    Esse livro ta na minha meta faz um tempãaao. SOU LOUCAAAA para lê-lo. Se a lista não fosse tao grande...
    Resenhas assim só me fazer querer passar ele na frente de todos. hahaha A premissa é incrível e sem dúvidas ire me surpreender muitooo. <3

    ResponderExcluir
  17. Olá,

    Esse gif super me definiu também. Eu li o último capítulo por cima, pois pressentia que viria bomba e desde então nunca mais toquei no livro (exceto para limpar a estante), meu coração não iria aguentar mais. É um dos meus livros favoritos e por isso todo mudo estranha quando digo que não irei relê-lo. É um livro muito bom e que te faz enxergar tudo de modo diferente, mas também é um livro que deprime, faz chorar e se revoltar — como você mesma disse. Eu recomendo esse livro para todo mundo, porém não é todos que terão cabeça para fazer essa leitura, infelizmente.

    ResponderExcluir
  18. Oi.
    Já vi muita gente falando desse livro, algumas pessoa bem revoltadas com o tema tratado. E simplesmente não consegui formar opinião sobre um livro que trata de incesto.
    Esse livro me faz lembrar um episódio de Criminal Minds, no qaul dois irmão foram abandonados pelos pais e tiveram que se virar sozinhos. Não sou psicologa e nem sei se é verdade, mas foi dito no episódio que quando acontece um trauma assim na puberdade, os sentimentos se confundem e pode surgir um sentimento romântico por aquela pessoa que é usa base, seu apoio.
    Não é um livro que eu leria no momento por ter uma carga emocional muito forte e pesada. Mas pretendo ler sim, para formar minha opinião.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Olá,
    Sei que você que talvez não tenha conseguido passar para gente tudo o que sentiu no decorrer da leitura, mas é muito palpável todas as sensações que descreveu.
    Desde o lançamento desse livro que quero muito fazer a leitura, mas ainda não consegui. Fico em dúvida se terei a mente aberta necessária para degustar essa obra e torço para que sim. Maya e Lochan parecem ser cativantes e mesmo sendo um amor proibido, creio que ficarei torcendo por eles.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  20. Oiee Dani ^^
    Acho que "Proibido" foi um dos poucos livros (só consigo pensar em dois, no momento) que me fizeram chorar tanto a ponto de soluçar. Credo, que arrasador! Me apaixonei pela história, pelos personagens e por todo o resto, apesar de ter odiado a autora um pouquinho por eles serem irmãos...haha' mas o final... Não consigo nem pensar nele sem querer chorar *-*
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  21. Oiii
    Linda tua resenha
    Como eu chorei com este livro.como me revoltem com este final rsrs
    Tão sofrido tão doloroso
    Foi uma das leituras mais lindas e mais sofridas que eu fiz.
    É difícil tirar uma conclusão sem sofrimento sem dor sem emoção

    ResponderExcluir
  22. Olá! Ainda não li este livro, mas a história parece mesmo ser forte. Eu não tive coragem de comprá-lo não me senti preparada para a leitura. Mas vi que foi importante pra ti. A resenha ficou linda. Parabéns!

    ResponderExcluir
  23. Até uns tempos atrás eu tinha curiosidade em ler esse livro, acredito que até o tenha no meu kindle... Mas não sei se quero le-lo de fato. Não por conta do tema, mas sei lá, por conta dessa maré de emoções que você descreveu... Sei lá.

    Enfim, se um dia le-lo, te conto por aqui!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  24. Ah esse livro, eu não consigo superar nunca!
    Uma história que de principio me deixou um pouco enojada, mas que ao decorrer me deu o entendimento e me fez ficar apaixonada!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  25. Olá, tudo bem?
    Que bom que a leitura te conquistou, mas é aquilo que você mencionou: a pessoa precisa estar preparada para oque vai ler.
    Eu diria até que a pessoa precisa estar de mente aberta, não acho que será para muitos fácil de ler, eu, por exemplo, teria dificuldades com o assunto abordado, me incomodaria, eu sei.
    Valeu pela indicação, quem sabe no futuro.

    Beijo!

    ResponderExcluir

Gostou do post? Então deixe seu comentário. Mas lembre-se, não serão aceitos comentários que contenham qualquer tipo de preconceito ou palavras de baixo calão, respeite os demais leitores.

Obrigada por comentar e volte sempre!!