DireçãoMatt Reeves
Roteiro: Mark Bomback, Matt Reeves
ElencoAndy SerkisGabriel ChavarriaWoody HarrelsonSteve ZahnKarin KonovalTerry NotaryTy Olsson
País: Estados Unidos
Classificação: 14 anos
Estreia: 3 de Agosto de 2017
Duração: 142 min.
Nota: 8,0



César e seu grupo são forçados a entrar em uma guerra contra um exército de soldados liderados por um impiedoso coronel. Depois que vários macacos perdem suas vidas no conflito, César luta contra seus instintos e parte em busca de vingança. Dessa jornada, o futuro do planeta poderá estar em jogo.

No começo da semana pude conferir no cinema um dos filmes mais aguardados por mim neste ano: Planeta dos Macacos: A Guerra. O terceiro filme da trilogia chegou aos cinemas no último dia 03 e traz novamente a luta de César para manter sua família a salva. Agora sua luta é contra um exército de soldados liderado pelo Coronel (Woody Harrelson) que buscam exterminar a espécie dos macacos de uma vez por todas. Em meio a esta guerra, César parte em busca de vingança, numa guerra que pode custar sua vida e a de sua família. 


O filme começa logo após os acontecimentos de Planeta dos Macacos: O Confronto e das consequências do mesmo. Neste terceiro longa, César está em busca e um novo lar, um lugar seguro, onde nenhum de sua família morrerá novamente. Mas, acontecimentos fazem com que ele fique cego por um desejo de vingança. Seu desejo agora é encontrar o coronel e matá-lo. O Coronel é um homem cruel e impiedoso, que fará de tudo para que seus planos sejam realizados. Ele não permitirá que nada fique em seu caminho.  


Planeta dos Macacos: A Guerra é um pouco diferente dos outros filmes. Ele possui menos ação que os filmes anteriores. Ele traz temas – assim como os outros – para se refletir. Se você busca um filme carregado de bombas, tiros e explosões, talvez, se decepcionem um pouco. Este terceiro filme fala mais sobre empatia, compaixão; o filme reflete muito do que estamos vivendo. Ele tem um lado mais filosófico que agradará muitas pessoas. Vemos que os macacos são, muitas vezes, mas humanos que os próprios humanos. César não deseja uma luta, ele quer paz, viver em paz, ele oferece um acordo ao Coronel para que não precisem lutar, para que ambas as partes possam viver juntos sem que haja uma guerra. Vemos, na apresentação do Coronel, como muitos temem o que é diferente, como temos medo daquilo que não conhecemos. Planeta dos Macacos: A Guerra é ainda mais parecido com o mundo em que vivemos.


O alívio cômico fica por conta do Macaco Mau, que fugiu do zoológico e vive desde então sozinho. Ele se junta a César e seus amigos e nos entrega os momentos mais engraçados do filme.  

Planeta dos Macacos: A Guerra não decepciona. Eu não saí da sala do cinema reclamando pela falta de ação. O longa entregou aquilo que prometeu:  um ótimo blockbuster, com um bom roteiro, um filme emotivo e  reflexivo.










Deixe um comentário

Gostou do post? Então deixe seu comentário. Mas lembre-se, não serão aceitos comentários que contenham qualquer tipo de preconceito ou palavras de baixo calão, respeite os demais leitores.

Obrigada por comentar e volte sempre!!