16 de fevereiro de 2018

[RESENHA] As Sete Irmãs – A história de Maia - Lucinda Riley


Em As sete irmãs, Lucinda Riley inicia uma saga familiar de fôlego, que levará os leitores a diversos recantos e épocas e a viver amores impossíveis, sonhos grandiosos e surpresas emocionantes.
Filha mais velha do enigmático Pa Salt, Maia D’Aplièse sempre levou uma vida calma e confortável na isolada casa da família às margens do lago Léman, na Suíça. Ao receber a notícia de que seu pai – que adotou Maia e suas cinco irmãs em recantos distantes do mundo – morreu, ela vê seu universo de segurança desaparecer.
Antes de partir, no entanto, Pa Salt deixou para as seis filhas dicas sobre o passado de cada uma. Abalada pela morte do pai e pelo reaparecimento súbito de um antigo namorado, Maia decide seguir as pistas de sua verdadeira origem – uma carta, coordenadas geográficas e um ladrilho de pedra-sabão –, que a fazem viajar para o Rio de Janeiro.
Lá ela se envolve com a atmosfera sensual da cidade e descobre que sua vida está ligada a uma comovente e trágica história de amor que teve como cenário a Paris da belle époque e a construção do Cristo Redentor.
 Romance | 480 Páginas | Lucinda Riley | Série As sete irmãs #1 | Cortesia Editora Arqueiro | Skoob | Classificação: 3/5 | Leia um trecho


Maia não sabe nada sobre suas origens. Adotada por Pa Salt, ela sempre teve tudo na vida; sempre foi bem cuidada e amada. Sua vida sempre foi alegre, ainda mais com a chegada de suas irmãs. Mas a vida de Maia muda depois de receber a notícia de que seu pai veio a falecer. Agora, ela precisa voltar para casa e encontrar uma forma de dar a notícia a suas irmãs. Quando chega em casa, ela fica sabendo que seu pai deixou instruções quanto ao seu enterro. Sem entender o motivo do pai ter feito tudo isso, ela sofre por não poder se despedir de seu pai, ou vê-lo uma última vez. E, quando o advogado de Pa Salt  se encontra com ela e suas irmãs, as garotas ficam sabendo que ele deixou para cada uma carta contando sobre a origem delas. Maia fica com medo de abrir a sua carta e ler. Contudo, quando a lê, ela encontra informações sobre suas origens: de onde ela veio, do país onde nasceu. Maia não sabe se deve ir, se deve buscar saber quem foram seus pais, e o porquê a colocaram para adoção. Mas o desejo por respostas é maior, e Maia parte para o Rio de Janeiro. Chegando na cidade, Maia descobre a casa onde sua mãe poderia ter vivido. E ainda descobre que suas origens estão ligadas a uma importante família do Rio de Janeiro, e também, a construção do Cristo Redentor.



A narrativa do livro é dividido entre a história de Maia e Izabela, bisavó de Maia. Uma boa parte do livro narra o romance de Izabela. Deixando que a história de Maia seja contada em poucas páginas. O que resultou em um não aprofundamento na jornada de Maia. Descobrimo sobre suas origens pelas cartas dada para Maia por uma mulher que conheceu a mãe da jovem. Acontece que, eu não achei a história de Maia tão emocionante quanto a história de Izabela. Ainda mais o romance, o envolvimento de Maia com Floriano, um autor que Maia conhece, e que ajuda a mulher durante tempo que ela está no Brasil. Achei o romance deles muito apressado e repentino. Não senti que eles ficassem bem juntos, ou formassem um casal apaixonante. A impressão que tive foi que o personagem foi colocado na trama apenas para não deixar o livro sem um romance.

O mais interessante mesmo foi a história de Bel: seu amor proibido, o quanto ela sofreu por não estar com o homem que amava, suas paixões e a forma como ela vivia. Ainda temos um pouco do fato da história de Bel acompanhar a criação do Cristo Redentor. Esse aspecto histórico enriqueceu ainda mais o enredo. A inspiração para o livro e os nomes das irmãs foi a lenda das Plêiades. Eu não conhecia muito bem sobre a lenda, mas a achei superinteressante, e me deu vontade de pesquisar mais a fundo.

As Sete Irmãs – A história de Maia inicia bem a série. Ainda que eu não tenha gostado de algumas coisas, a escrita da Lucinda foi algo que eu gostei. A autora possui uma escrita leve, fácil, o que tornou a leitura mais agradável para mim. Eu recomendo a leitura, ainda mais para quem gosta de jornadas sobre descobrimentos, dramas familiares e romance.




Um comentário:

  1. Eu gostei muito da premissa da história. Acredita que achei que fosse um romance de época?! Dica anotada já quero comprar e ler essa Lindeza!

    ResponderExcluir

Gostou do post? Então deixe seu comentário. Mas lembre-se, não serão aceitos comentários que contenham qualquer tipo de preconceito ou palavras de baixo calão, respeite os demais leitores.

Obrigada por comentar e volte sempre!!

© 2017 x Design e Código: Sanyt Design x Livros e Café • voltar ao topo